‘Estou lutando para não morrer’, afirma ex vice-presidente

Fora do hospital pela primeira vez desde 22 de dezembro, o ex-vice-presidente José Alencar disse hoje que se coloca nas mãos de Deus, mas que segue lutando para não morrer. Homenageado nesta terça-feira com a Medalha 25 de Janeiro, durante o aniversário da cidade de São Paulo, Alencar falou sobre sua luta contra o câncer que o acomete desde a década de 90 e se agravou nos últimos meses.

“Ainda não estou bem. Estou bem melhor, mas ainda não estou bem”, disse o ex-vice, que foi acompanhado pela presidenta Dilma Rousseff e pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na cerimônia, cujo anfitrião era o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM). “Eu faço a minha parte e estou lutando para não morrer”, completou o empresário.

Apesar de enumerar desafios que enfrentou ao longo do tratamento – como um infarto e um endema pulmonar que, segundo ele, quase o “matou” – Alencar não perdeu o bom humor. Disse que aprendeu com Lula que os discursos têm de ser como “os vestidos das mulheres”. “Nem tão curtos que nos escandalizem, nem tão longos que nos entristeçam”.

Sua participação no evento, entretanto, ocorreu sob rigido controle dos médicos.Ele foi autorizado apenas a fazer um breve pronunciamento e receber a medalha. Foi providenciada uma ambulância para acompanhar o ex-vice, sob orientação do cardiologista Roberto Kalil Filho. Os médicos apresentaram à prefeitura uma série de recomendações para viabilizar a participação de Alencar no ato. Pediram, por exemplo, que o ambiente fosse o mais ventilado possível. Após o evento, Alencar pediu aval dos médicos para almoçar no apartamento onde mora, no bairro dos Jardins, na capital paulista. A equipe do Hospital Sírio-Libanês concedeu a autorização e estuda a possibilidade de permitir que o ex-vice passe a noite em sua casa. Ele passará por uma avaliação médica no fim do dia, para avaliar se tem condições de permanecer fora do hospital.

 

Alencar queria ter participado mais cedo da missa em comemoração ao aniversário de 457 anos da cidade de São Paulo, mas os médicos não concederam autorização. A mulher de Alencar, Mariza Campos Gomes da Silva, desculpou-se para o prefeito Gilberto Kassab pela ausência do marido.

 

A missa, realizada logo cedo na Catedral da Sé, teve a presença de partidários do governo Dilma e adversários da administração federal. Além da mulher e o filho de Alencar, Josué Gomes da Silva, também compareceram o deputado eleito Gabriel Chalita (PSB), o governador Alckmin e a primeira-dama do Estado, Lu Alckmin.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também receberia a Medalha 25 de Janeiro nesta terça-feira, mas teve de se ausentar da cerimônia por causa de um compromisso internacional. Já Alencar foi acompanhado da presidenta Dilma e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

Data: 27/1/2011 08:30:51
Fonte: US

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Testemunhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s