Caetano Veloso: Meus Filhos Caçulas são Evangélicos

Caetano Veloso abriu as portas do seu apartamento no Leblon, no Rio, para a revista Serafina, e conversou sobre família, carreira e política. Entre outras coisas, contou que seus dois filhos mais novos são evangélicos frequentadores da Igreja Universal do Reino de Deus.

Por Redação OGalileo

Seus dois filhos mais novos, Tom e Zeca, são evangélicos e frequentam a igrejaUniversal do Reino de Deus. Sobre um tropicalista gerar filhos evangélicos, Caetano diz: “Minha geração teve que romper com a religiosidade imposta, a deles teve que recuperar a religiosidade perdida”.

Caetano diz ser muito bem recebido quando vai assistir a seus filhos tocando nos cultos e afirma enxergar o bem que a religião fez aos dois. Paula Lavigne comenta: “Zeca encontrou um conforto na religião. Qualquer coisa que faça bem aos meusfilhos faz bem para mim”.

E sobre o crescente poder dos evangélicos, no Congresso Nacional e na mídia, relativiza: “A Record não tem mais rabo preso com o bispo do que a Globo tem com o cardeal”.

Caetano tem três filhos religiosos. Sobre Moreno, que tende ao catolicismo, diz: “Se o papa João 23 fosse santo, ele seria devoto”.

Caetano acredita que tanto o pensamento da esquerda militante quanto a moral das religiões repreendem a religiosidade e a sexualidade. Ao ser questionada sobre se a sexualidade ambígua de Caetano a deixava insegura, quando casada com ele, Paula Lavigne respondeu: “Sua bissexualidade é superdimensionada, é muito mais uma bandeira do que um fato, e Caetano carrega um saco de golfe em suas costas, cheio de bandeiras que ele defende de forma apaixonada. Na prática, ela não existia”. Jorge Veloso, assessor e sobrinho-neto de Caetano, resumiu assim: “Artista é anjo”.

Além de tudo isso, o autor de “Tropicália” afirmou nunca ter gostado de drogas, mas se disse a favor da liberação do uso: “Eu não gosto do ambiente que se forma em torno da cocaína. Detesto! Se eu pudesse eu matava a cocaína”.

Vindo de uma família muito católica, ele ia à missa e não dormia sem antes rezar. Quando foi a Salvador, ficou mais próximo do candomblé, onde se iniciou como filho de Oxóssi em casa de Mãe Menininha, no Gantois. Porém, nunca recebeu seu orixá: “É o tal negócio de perder a consciência. Eu não queria entrar em transe. Ficava com medo”.

Caetano, que hoje se diz ateu, afirma estar adorando tudo no início do governo da presidente Dilma Roussef: “Dilma tirou a Bíblia de cima da mesa e o crucifixo da parede, eu gostei muito. Lula era mais carola…”, diz.

Com informações Folha de São Paulo / O Diário / SRZD

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Testemunhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s