Anderson Silva e Vitor Belfort fazem a luta do século no UFC 126

Brasileiros definem quem será o campeão dos médios em card que conta com Jon Jones, Ryan Bader, Rich Franklin e “Tá Danado

O tão esperado dia está bem perto de chegar. Vitor Belfort e Anderson Silva se enfrentam a partir da 1h deste domingo, em Las Vegas, no UFC 126. Os brasileiros finalmente colocarão fim às d´puvidas que rondam a luta do século e decidirão quem será o campeão dos médios do UFC. Você pode acompanhar a cobertura ao vivo, round a round, no iG.

A luta é cercada de expectativa também pelo clima que se criou nos últimos dias. Anderson Silva quase grudou o rosto no de Vitor Belfort durante a encarada após a coletiva de imprensa do evento na quarta-feira, no melhor estilo Chael Sonnen antes do UFC 117. Tudo isso pela raiva do passado, de ver um ex-companheiro de treinos implorar por uma luta com ele mesmo.

Anderson não assume publicamente que quer se livrar desse trauma e tenta sair sem polemizar quando o assunto é saber se isso o irrita.

“Nada me irrita. Nada. Na verdade, o que me irrita é desigualdade e covardia. Eu tenho minha motivação, que é fazer o que eu amo. Sou um funcionário do UFC e quero deixar todos muito felizes”, despista Anderson.

Do outro lado, Vitor Belfort tenta alcançar o cinturão pela terceira categoria diferente. Campeão dos pesos pesados e dos meio-pesados, o brasileiro pode tomar o título após uma tentativa frustrada no UFC 112, quando teve de dar lugar a Demian Maia por causa de uma lesão no ombro.

O brasileiro, aliás, não luta desde setembro de 2009. Esse tempo parado, aliás, não chega a preocupar Vitor, mas deixa uma dúvida na sua cabeça sobre como será sua reação em cima do octógono.

“Eu não tenho como compensar isso em treino. Por mais que eu faça as coisas, não é o mesmo que subir no octógono. A única coisa que eu posso te falar vai ser depois da luta. Depois de que tudo acabar eu vou poder falar como foi minha reação após tanto tempo parado”, explicou ele, que chegou a dizer que seu adversário veste uma máscara por insegurança.

Caso Anderson consiga a vitória, ele aumenta seus recordes no UFC. O atual campeão já ostenta o maior número de defesas de cinturão (sete) e a maior invencibilidade da história do evento (doze).

Card principal tem outras estrelas e brasileiro emergente

Enquanto a última luta da noite chama a atenção pelo cinturão e pela presença de dois grandes nomes do esporte, outros quatro confrontos completam o card principal.

Rich Franklin e Forrest Griffin fazem o confronto dos queridinhos dos norte-americanos e também do UFC. Até por isso, uma vitória já pode colocá-los em uma futura luta pelo cinturão, ainda depois de Yushin Okami, que, pelo menos teoricamente, está à frente na fila. Ryan Bader e Jon Jones também lutam pensando em conseguir uma chance de roubar o cinturão que hoje é de Maurício Shogun.

O brasileiro Carlos Eduardo Rocha, o “Tá Danado”, faz sua estreia no card principal depois de uma boa vitória no UFC 122, na Alemanha. Ele enfrenta Jake Ellenberger, lutador que gosta de jogar o combate para o chão e travá-lo ao máximo. Para completar, Miguel Torres, ex-campeão do WEC, luta contra Antônio Banuelos.

O card preliminar ainda conta com a luta de Kid Yamamoto e Demetrious Johnson, que terá transmissão ao vivo pelo o Facebook, e de Donald Cerrone conra Paul Kelly e Chad Mendes diante do japonês Michihiro Omigawa.


 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Testemunhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s