O atirador da Escola no Rio – Sinais de uma sociedade enferma!

Ex-aluno mata 11 a tiros em escola na Zona Oeste do Rio (Ag. AP)

 

A cada ano que passa, vemos a sociedade tornando-se vítima de indivíduos doentes e mentalmente abalados, quando nos deparamos com situações como a que ocorreu no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (7) de Abril.

Um homem armado entrou na escola municipal Tarso da Silveira, em Realengo, e fez inúmeros disparos contra alunos e professores causando desespero e pânico geral. Segundo consta em relatos da internet, posteriormente aos disparos, ele teria se matado com um tiro na cabeça ou ainda teria sido alvejado por policiais. Relatos policiais, dão pelo menos duas versões para a causa de tamanha violência. Ou ele era um ex-aluno da escola, ou era o pai de uma aluna que sofria de bullying.

As chamadas “doenças estruturais” são geralmente ignoradas pela maioria na sociedade. São doenças como, a perda de valores morais, o racismo cultural ou ético, ou qualquer outra forma de desvalorização humana. Há uma síndrome dessas doenças correndo nas veias sociais em larga escala, que não respeita nenhum limite econômico ou educacional. Isso acontece em vários países, e alimentamos a falsa idéia de que não chegará à nós, até o dia em que acontece. O que leva um rapaz, de 25 a 30 anos, cometer um ato tão cruel e insensato como esse? Precisamos nos perguntar, e a resposta parece clara: A sociedade em que vivemos gera isso!

Nossa sociedade está plantando aquilo que está colhendo! É óbvio que isso não responde tudo, mas quero avaliar com clareza alguns pontos. Somos vítimas de nosso próprio descaso moral e ético. Acreditamos que a abertura para novos valores morais e éticos como aborto, homossexualidade, sexo precoce, drogas, não alteram os procedimentos psicossociais, mas estamos enganados.

A moral de um criminoso não é diferente da de um empresário ambicioso, do funcionário público que se usa do estado para subir cada vez mais na carreira, do político que age em causa própria e não em favor do bem comum. Alguns indivíduos, como esse da escola de Realengo, expõe seus conflitos éticos, do seu tempo e de todos os tempos, através do ato extremo de matar. Num determinado momento, esse indivíduo oprimido se transforma em opressor, e mata com requintes de crueldade, gritando “algo” para a sociedade.

A satisfação de um doente social, é que o outro não tenha prazer de nenhum modo, seu desejo é impedir que o outro exista e que possa viver e ser livre. E por isso ele mata, mata por satisfação, mata para se ver livre da alegria do outro que vive, mata crianças que simbolizam a esperança de uma “sociedade melhor”, pelo menos teoricamente.

Poder, orgulho, opressão, revelam ainda um estágio imaturo da raça humana, um estágio animalesco que tende a extinção. Esse atirador da escola é apenas um sinal de que nossa sociedade está muito doente, e não serão novos valores que irão libertá-la, mas o ajuste da boa moralidade, do ideal humano-divino de Cristo. Só esse “ideal” poderá salvar o Brasil e o Mundo.


Bruno dos Santos é Diretor do VidaSat Comunicações, Coordenador Geral da CIA (Coalizão das Igrejas Apostólicas) e pastor da Igreja Vida Nova em São Paulo. Escritor e Conferencista, é formado em Teologia com especializações em Novo Testamento e Liderança. Casado com Silvia Regina, é pai do Lucas, da Laís e da Ana Luiza.

 

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Testemunhos

Uma resposta para “O atirador da Escola no Rio – Sinais de uma sociedade enferma!

  1. Manuel Barreto Silva

    Ótima reflexão sobre este tema, estamos vivendo no meio de gente louca. Parabéns.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s