União Homossexual Legal no Brasil de Maioria Cristã? ‘Deixemos a Hipocrisia,’ diz Pastor

Por Amanda Gigliotti|Repórter do The Christian Post

Pastores e deputados evangélicos reacionam de diferentes maneiras à recente legalização da união homossexual no Brasil.

O Deputado Federal e Pastor Marco Feliciano mostrou decepção quanto à decisão e expressou sua opinião sobre o país em que a maioria se diz “Cristã,” mencionando a “hipocrisia,” em seu Twitter.

“Se o País é laico, pq feriados religiosos, pq a constituição invoca a benção de Deus, pq a bíblia esta na mesa da presidência da Câmara?(sic)” questionou o pastor.

“Deixemos a hipocrisia,” disse ele em seu Twitter.

Já o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), abertamente contra a homossexualidade, voltou a causar polêmica dizendo “Agora virou bagunça. O próximo passo vai ser a adoção de crianças (por casais homossexuais) e a legalização da pedofilia.”

Bolsonaro, conhecido por suas frases polêmicas, afirmou ainda que os filhos de casais homossexuais crescerão vendo “a mãe usando cueca e o pai usando calcinha,” e que com isso haverá “passeata gay mirim.”

Lançando o termo “evangelicófobo” no Twitter e Facebook, pastor Ciro Sanches Zibordi dizendo que se o “simples fato de eu discordar dos homossexuais torna-me homófobo (de acordo come ele homófobo é mais apropriado que homofóbico), o simples fato de eles discordarem de mim também os torna evangelicófobos.

Quato à legitimidade da união de pessoas do mesmo sexo, “é evidente que a decisão não foi tomada com base na Bíblia, visto que esta prescreve que o casal deve ser formado por homem e mulher (Mt. 19:4),” disse ele.

Zibordi ressaltou que os Cristãos devem respeitar as pessoas homossexuais que vivem juntas, mas que “não podemos (…) é concordar com esse tipo de união, a qual, biblicamente, constitui um pecado.”

“A Bíblia — isto é, Deus — condena a prática homossexual. Mas a Bíblia (Deus) também mostra que o homem tem livre-vontade para escolher entre o bem e o mal (Dt 30.19; Mt 7.13,14).”

O Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu a união civil entre pessoas do mesmo sexo, nesta quinta-feira. A decisão abre um precedente nacional onde juridicamente os gays podem se casar com um união estável reconhecida pela justiça, garantindo direitos comuns a casais heterossexuais como pensão, herança, comunhão de bens e previdência.

No país de maioria cristã, existe cerca 60 mil casais homossexuais (segundo Censo demográfico – IBGE 2010).

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Testemunhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s